25 fevereiro 2008

O Assunto é Legumes e Verduras

Todo mundo sabe que é uma boa ideia comer legumes e verduras todo dia. Mas, por vários motivos além de saúde, a dieta de legumes e verduras está ficando complicado. Na hora de comprar um tomate devo comprar um tomate comum, orgânico, regional ou biodinâmico? Devo fazer compras no supermercado ou na quitanda da esquina? Vou realmente combater aquecimento global substituindo uma maminha por uma berinjela? O que é que vou fazer para o almoço? Esta pergunta está virando um assunto complicado mesmo!


O assunto de legumes e verduras está na mira do Oxford Symposium of Food and Cookery. A conferência, este ano, vai examinar as nossas relações com as plantas que comemos. Se você tiver algo a elaborar no grande assunto de legumes e verduras, a conferencia está recebendo artigos nos temas de "vegetables as foodstuffs, symbols and as a part or the whole of the human diet" ou seja legumes e verduras como comidas, como símbolos e como se fazem de uma parte ou integralmente da dieta humana."

O evento junta escritores, historiadores, sociólogos, antropólogos, cientistas, chefs de cozinha além de outras profissões especializadas no estudo da comida na história, na sociedade contemporânea e em avanços científicos relacionados à comida. O Oxford Symposium oferece varias bolsas de estudos principalmente em história de culinária e gastronomia. Para mais informações visite www.oxfordsymposium.org.uk. A conferência acontecerá em Setembro 2008.

Para mais sobre o assunto de relacionamento entre nós e o que nós comemos, recomendo ler um artigo de Mark Bittman conhecido como "The Minimalist" do New York Times e autor de How to Cook Everything e How to Cook Everything Vegetarian. O artigo do Bittman "Re-Thinking the Meat-Guzzler" (repensando o carnívoro glutão) propõe que o impacto de uma dieta que inclua muita carne pode fazer mais danos ao planeta do que faz a poluição de carros.

Outro pensador nesse assunto é o Michael Pollan, autor do Dilema do Omnívoro, e In Defense of Food (Em Defesa de Comida). Os estudos dele examinam como nós perdemos hábitos saudáveis, adotando os meios de comida industrializada de hoje. Ele recomenda a "Eat food, not much, mostly plants" (comer comida, não muito e principalmente plantas). Ele define comida assim: se a sua bisavó reconhece aquilo como comida, realmente é comida. Por exemplo ela reconheceria um quadradinho de queijo processado ou uma barra de cereal como comida? Escute a entrevista dele no npr.org.

Para ver um blog super interessante de comida vegetariana visite Vegan Yum Yum. As receitas são sempre inspiradas e as fotos são lindas.

Quem já conhece esse blog sabe que não sou vegetariana (ver Almoço no Forno à Lenha para as provas do meus comportamentos carnívoros). Mas, graças a Deus eu como legumes e verduras porque eu gosto! Nunca precisei engolir uma vagem ou um brócolis apertando o nariz simplesmente pelo bem que me faz. Dei sorte! A minha mãe é uma boa cozinheira!

Acredito que as soluções dos problemas da dieta humana estão dentro das nossas tradições culinárias. Já descobrimos os segredos de preparar pratos gostosos, saudáveis e sustentáveis com carnes, legumes, verduras, laticínios, etc... há muito tempo. Precisamos resgatar as tradições para encontrar as soluções dos problemas de hoje como diabetes, obesidade, câncer e quem sabe mais.

Quero saber do que vocês acham desse assunto. Continue o debate fazendo um comentário abaixo. Ou faça até melhor, me mande uma receita gostosa que glorifique verduras ou legumes. Vou escolher as mais interessantes para publicar aqui no Da Minha Cozinha. Quero ver a sua criatividade! Mande para suzie(arroba)daminhacozinha(ponto)com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seus comentários são sempre bem vindos.