15 junho 2008

You Say Potato, I Say Inhame


descascando inhame

Não sou cientista, mas tenho o gene. As vezes não é fome que me leva ao cozinha. As vezes é para testar uma teoria ou idéia. O beneficio é que também acabo preparando almoço. A minha curiosidade atual é com o inhame.

Para mim, ainda depois de 10 anos no Brasil, o inhame é algo extremamente exótico. Para os Brasileiros em volta de mim é só um inhame. Mas, para mim é um ser barbudo e misterioso que chega no mercado com a terra vermelha e úmida que lhe produziu ainda agarrada nos pelos. Ele ainda cheira do submundo de onde veio. Alguns inhames me lembram aquela planta no Harry Potter e a Câmara Secreta que faz birra quando os alunos de Erbologia tentam transplantá-las. Quando os escolho no mercado, imagino que um desses tubérculos gritará ou irá me morder. Acho que por isso sempre evito os grandes.


os barbudos inhames

Então um dia eu vi a Luz. No mercado, a minha filha viu a seção dos inhames. "Olhe mãe, são batatas barbudas!" Ela estava brincando de boneco com dois inhames bem peludos, inventando uma conversa de dois velhinhos observando o tempo. Pensei, " são batatas?" A revelação, "São batatas!" Eu sei como preparar batatas. Será que posso preparar ihames como batatas?

Assim começou a minha experiência. Posso substituir inhames por batatas em receitas clássicas como batata dauphinois, nhoque de batata, aquelas batatas douradas ao lado do frango ou lombo de porco assado, etc...? Finalmente eu tinha como me aproximar a esse nativo estranho.

Primeiro experimentei fazendo fritas de inhame. Descobri que são ótimas! Veja a postagem Além da Batata Frita. Depois fiz purê, na mesma maneira que faço purê de batata comum ou purê de batata baroa. Amei, mas fiquei triste que o purê fica cinza.

Experimentei os preparando igual aquelas batatas que cozinham ao lado do frango assado. Descasquei e cozinhei inhames e batatas em água, em panelas separadas. Durante a última meia hora no assar do frango, coloquei as batatas e os inhames na assadeira junto ao frango. Os inhames, descobri, cozinham mais rápidos, mas se comportam nas mesma forma das batatas, chupando aquele fundo gostoso da assadeira, pegando uma cor e formando crosta deliciosa. A família amou os inhames tanto como batatas.

Encorajada pelos os sucessos, decidi experimentar com os inhames numa receita mais elaborada. Escolhi gnocchi. Os inhames se comportaram muito bem, virando um gnocchi tão leve como os traveseirrinhos em que bebê-anjos dormem flutuando nos desenhos de papel de parede de um quarto dos nenéns. Para não atrapalhar a leveza, e complementar o sabor mais puxado para nozes dos inhames, servi com o molho de manteiga dourada com folhas de sálvia.

Montei um prato com gnocchi de ambos batata e inhame. Ficou um delicia os dois sabores no mesmo prato.


gnocchi de inhame e gnocchi de batata com manteiga dourada e sálvia

Gnocchi de Inhame
350g ou mais de farinha de trigo, comum
500g de inhames, descascadas, lavadas e cortadas em cubos
50g manteiga sem sal, cortada em cubinhos
1 colher de chá de sal, ou a gosto
pimenta do reino, moída na hora
raspas de noz moscada
azeite

Gnocchi de Batata
150g ou mais de farinha de trigo, comum
500g de batata, descascadas e cortadas em cubos
100g manteiga sem sal, cortada em cubinhos
1 colher de chá de sal, ou a gosto
pimenta do reino, moída na hora
raspas de noz moscada
azeite

Molho de Manteiga Dourada e Sálvia (Burro e Salvia)
100g manteiga sem sal
10 ou mais folhas de sálvia
1 colher de chá de azeite
queijo parmesão

O método de fazer o gnocchi de inhame ou o gnocchi de batata é o mesmo:

Numa panela grande cozinhe o inhame ou batata até começam desmanchar. Se estiver fazendo os dois tipos, faça em duas panelas separadas. O inhame cozinha um pouco mais rápido do que a batata. Enquanto o inhame ou batata está cozinhando espalhe a farinha numa superficie limpa. Escorra bem o inhame/a batata e esprema por cima da farinha. Espalhe os cubinhos de manteiga por cima do inhame/da batata. Tempere com sal, pimenta e noz moscada. Junte a massa com um raspador de massa ou uma espátula. Sove a massa delicadamente uns 4 ou 5 minutos. Forme três minhocas com a espessura de 2 cm. Use mais farinha no superficie se for precisar.

Leve uma panela grande com água salgada a ferver. Se estiver fazendo os dois tipos de gnocchi, novamente, faça em duas panelas separadas. Corte as minhocas em pedaços de de 2cm . Cozinhe o gnocchi aos poucos. Gosto de cozinhar uns 6 ou 8 de uma vez. Quando cada gnocchi flutua, pode retirar com uma escumadeira ou colher furada. Transfira cada gnocchi a um banho de água fria por 1 ou dois minutos, e depois é uma travessa untada com azeite. Durante esse processo de cozinhar os gnocchi, troque a água do banho frio para que manter fria, e continue espalhando azeite nos gnocchi na travessa para que não grudem um no outro.


Folhas de sálvia fresca na manteiga dourada

Depois de cozinhar todo os gnocchi, prepare o molho. Derreta a manteiga numa frigideira junto com o azeite. Deixe a manteiga criar uma espuma e tomar uma coloração dourada. Não deixe a manteiga queimar. Adicione as folhas de sálvia, secas e inteiras. As folhas vão fritar, ficando crocantes enquanto perfumam a manteiga. Despeje o molho por cima dos gnocchi. Se for fazer as duas receitas de gnocchi, dobre a recita do molho.

Sirva o gnocchi com um bom queijo parmesão ralado na hora.

Vou continuar testando o inhame no lugar da batata. Vem mais receitas desse barbudo estranho.

7 comentários:

  1. só comi inhame quando estive nos Açores mas gostei bastante.
    as tuas receitas pareceme-me deliciosas.

    ResponderExcluir
  2. Ola, vim aqui conhecer o teu cantinho.
    Eu nunca comi inhame mas sempre vejo no supermercado. acho que vou dar uma chance a ele e experimentar numa das versoes que tu fizestes.
    teu post me encorajou.
    beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Suzie sou doida por inhames...tbm tive um periodo q o pesquisei e testie varias receitas...tem até um pão super macio q eu fiz e publiquei no blog. Sobre o pure percebi q se cozinahmos ele com casca e numa panela q não seja de aluminio ele fica menos acinzentado, há ainda quem o cozinhe tortalmente coberto por leite, fica mais cremoso. A foto do prato está uma loucura e a conclusão da filhota foi genial!! bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi, Suzie... acabo de descobrir seu blog, do qual gostei muito... li uma notícia que achei superinteressante, mas infelizmente já acabou, então queria saber se vc podia me ajudar. É a respeito do livro do Mario Batali que a Barilla deixou online para download. Era só até fevereiro, mas ainda assim eu tentei, não consegui. Será que vc poderia favor a gentileza de me mandar por e-mail? Meu e-mail é nadialamas@bol.com.br

    Obrigada e parabéns pelo blog!

    Nadia Lamas

    ResponderExcluir
  5. Hum hum tudo uma delícia!! Vou anotar essa receita, pois aqui na Paraíba a terra é fértil para inhame tem cada um enooooorme criados a Tody rsrsrss

    ResponderExcluir
  6. Eu nunca comi essa batata barbuda! Li que ela tem progesterona. E nessa briga em saber que hormônio realmente é bom pra mulher, estrogênio ou progesterona, aposto nos naturais. Ia fazê-la como se faz aipim mas antes de colocá-la na panela resolvi pesquisar como fazer e acabei aqui! Muito legal saber que ela se parece com batatas. Aqui em casa todo mundo ama batatas! Obrigada por testá-la e divulgar! Bjos. Rosana.

    ResponderExcluir
  7. O inhame fica cinza porque vc cozinha ele na panela de alumínio, que libera esta substancia para o alimento. Utilize panela de aço inox e ele ficará branquinho.

    ResponderExcluir

O seus comentários são sempre bem vindos.