17 agosto 2008

California Dreaming parte 1 - A Aventura na Serra



Pinheiros no Glass Creek Campground em Mammoth Lakes, CAJuju, 6 anos, em busca de uma cratera vulcânica
Lupines (lupinus)uma das flores típicas de verão na Sierra NevadaJorge, 8 anos, tocando neve pela primeira vez

Passei o mês de Julho na Califórnia! Que bom matar as saudades da minha família e da minha terra. Em pleno verão (as vezes até 43 graus!) joguei baseball com os meus filhos, andei em várias montanhas-russas, pesquei com o meu irmão, fiz churrasco com o meu pai, caminhei na Sierra Nevada, tomei banho num hot springs secreto, andei de Jeep navegando com mapas do Google Earth, subi num vulcão, fiquei até depois da meia noite com os meus filhos (acordados!) na Disney e vi a minha filha nadar pela primeira vez... Durante esse tornado de atividades, também eu e A. celebramos 10 anos de casados! Tudo era muito emocionante. Era um sonho.

E a comida? Ao contrário da rotina normal da casa onde o cardápio determina o programa, nas férias o programa determina o cardápio. Entre uma semana no motorhome acampando na Sierra Nevada, e outra em Anaheim dependendo dos restaurantes e lanchonetes dos parques temáticos e os preços altos para alimentos, não foi uma aventura gastronômica. Mas, (re)descobri umas delicias que vou compartilhar com vocês numa série de histórias.

A Aventura na Serra
Foi uma aventura inesquecível, especialmente para os meus filhos. Imaginem montanhas de granito ainda com neve em Julho, lagos (cheios de trutas) raspados da serra por geleiras durante a última era do gelo, florestas de pinheiros que exalam perfume de butterscotch e estâncias térmicas estourando de um chão formado por pinhas, pedra-pomes, obsidiana e lava. Isso é a Sierra Nevada.

Ficamos no acampamento Glass Creek Campground perto da Highway 395 em Mammoth Lakes onde a altitude é de mais ou menos 2.500 m. Durante 7 dias acampei com os meus filhos Jorge e Juju, o meu irmão e os meus sobrinhos Nick e Breanna, entre Mammoth Lakes e June Lake.

Tive muitas vezes em Mammoth Lakes no inverno para esquiar. Coberto com neve é um sonho, mas a cabeça fica virada para o esporte. Foram poucas vezes que visitei no verão. Lembro uma viagem que fiz com meu pai e meu irmão quando tinha uns 9 anos. Era uma aventura de trilhas descobrindo uma beleza única, o resultado da volatilidade geológica da região. Caminhando na serra, meu pai me mostrou como as pedras no chão revelam a história natural do lugar. Nunca esqueci como era o Mammoth no verão. Esperava passar para os meus filhos a mesma sensação que eu senti.


Um lago verde no fundo do Inyo Crater, uma cratera vulcânica
Bonde subindo os 3,371m de Mammoth Mountain, onde ainda tem neve em Julho


Dessa vez conhecemos o terreno por uma outra dimensão, de 4x4. Passeamos nas trilhas infinitas de off road da área. Andamos de rhino (um tipo de jeep pequeno, um carrinho de golfe 4x4 em esteróides) e 2 quads (motos de 4 rodas), veículos pequenos e ágeis, excelentes para as trilhas. O meu irmão e os filhos dele são grande entusiastas de diversão em 2 ou 4 rodas. A nossa missão: achar uma cratera vulcânica, uma estância térmica, nos sujarmos o máximo possível e nos divertirmos de uma forma bem radical.

Achamos a cratera, o Inyo Crater, o resultado de uma explosão que deixou um burraco no chão com um lago verde no fundo (veja a foto). Subindo a trilha até o topo dá para ver as pedras de granito e lava que foram jogadas pela força.

Também achamos a estância. Subindo uma colina, vimos ao longe. O meu irmão, muito mais geólogo do que eu, a identificou pelos depósitos brancos de sal e minerais cercados por verde, o grande deserto do Owens Valley no fundo. "Lá deve ter uma banheira," falou meu irmão. "Lá no meio do nada?" perguntei. "É, vamos tomar um banho." Descemos a colina seguindo uma trilha deserta. Chegando em baixo encontramos um riacho que seguimos até os deposito de minerais. Exatamente nesse lugar as águas saem quentes do chão nisturando-se com a água do riacho. Achamos um tubo direcionando a água à uma banheira de cimento no chão. Lá no meio do nada, um ofurô rústico feito por algum entusiasta de estâncias. Outro visitante ou o autor desta obra prima de banhos naturais, deixou uma escova para quem visite possa contribuir com a manutenção. De biquinis e sungas, nós 6 entramos na água limpa e gostosa para lavar a poeira da trilha e relaxar um pouco. Fizemos um lanche de fig newtons e gatorade e pegamos a trilha de volta para o campground.

Outra aventura era o bonde que sobe os 3,371m até o pico de Mammoth Mountain, um vulcão ativo que também é lar de uma das melhores de estações de esqui nos EUA. No verão as pistas de esqui viram um meca para mountain bikes. No topo achamos um pouco de neve milagrosamente sobrevivendo às temperaturas altas de verão. Era a primeira vez que os meus filhos tocaram neve. Não era aquela neve fofa nas cenas ideais de cartões de Natal, mas ainda suja de terra e bem dura, era neve!



beef jerky, de gado criado nos pastos de alta altitude

Bishop, a última cidade na Highway 395 antes de subir para Mammoth Lakes, é um bom lugar para abastecer as necessidades antes de para no campground. Lá encontram-se muitas das especialidades locais como pistachios, produtos de elk (uapti, uma espécie maior de cervo) e beef jerky, um tipo de carne seca feita com a carne do gado local. Comprei dois sabores de beef jerky, o peppered (bem temperado com pimenta do reino) e o teriyaki no Meadow Farms Country Smokehouse onde também vi os tamales de uapti. Meadow Farms também faz vários defumados de porco, turkey jerky (de peru), fish jerky (de peixe), e claro, de uapti. Beef jerky, uma tradição americana desde a era dos pioneiros, não é mesmo que carne seca. Jerky é feito em tiras ou fatias finas de carne que ficam até mais finas depois de defumá-las. A carne é temperada com pimenta e às vezes outras especiarias e mel. As aventuras deixam todos com fome e o beef jerky é feito para se levar no bolso.



Acampando no Glass Creek Campground
um café da manhã bem forte e até um jantar chinês
servido à luz de vela e lampião.


No acampamento, todo mundo quer comer bem e com a mínima preparação. Certamente, ninguém quer ficar no motorhome o dia inteiro. O nosso acampamento não tinha hookups, ou seja não tinha luz, água nem esgoto. Isso significa que somente tinha 120 litros de água para cozinhar, banhar e dar descarga na privada!. Lavar louças era um desafio. Também o motorhome ficou um pouco desnivelado. Mesmo com o meu irmão fazendo o melhor para nivelar o motorhome, as panelas e pratos escorriam do pequena balcão da cozinha e ovos rolavam e caiam no chão. A altitude atrapalhava um pouco o cozimento dos alimentos. Mas, conseguimos comer muito bem. Quando era criança, a gente acampava no chão em barracas. O motorhome para mim é o maior luxo.

Preparei com antecedência e levei pronto feijão, macarrão, um guisado de paleta, um guisado de sobrepá de porco e duas abóboras-menina assadas. Deixei tudo em sacos herméticos dentro do isopor ou do mini freezer da geladeira. Com alguns legumes frescos e uns salva-vidas enlatados, consegui fazer comida para nós 6 quase a semana inteira. O meu irmão era o capitão do café da manhã, fazendo ovos mexidos com bacon e biscuits enlatados. Os meus sobrinhos comandavam a fogueira à noite fazendo s'mores prendendo marshmallows derretidos sobre o fogo entre dois graham crackers e um pedaço de chocolate.



Choveu somente um dia e a Juju e a Breanna queriam fazer algo para passar o tempo no acampamento. Assim como em casa, elas queriam se divertir na cozinha. O meu irmão tinha uma caixa de mistura para fazer panquecas e biscuits. Elas queriam algo doce. Decidiram fazer chocolate chip biscuits. Fizeram a massa seguindo as instruções na embalagem e adicionaram uma barra de chocolate cortado em pedaços. Assei os biscuits no forninho do motorhome. Demoraram assar por causa da altitude, mas eram deliciosas! Experimente fazer a com a receita de biscuits e adicione pedaços de chocolate!




Depois de três dias estava na hora de reabastecer o motorhome com água. Subimos um pouco mais o Highway 395 até a cidade de June Lake onde tem um campground com água, luz e a saída para esgoto. O campground não tinha a graça do campground em Mammoth. Parecia um estacionamento com mesas de piquenique. Mas era perto de tudo em June Lake e acomodava todas as nossas necessidades.

A pequena cidade de June Lake é um encanto na alta serra. No inverno a estação de esqui chama os visitantes, mas no verão os pescadores tomam possa da cidade. Os moradores, que passam 6 meses de baixo de neve, celebram o verão curto. Todo canto da cidade é enfeitado com de flores como o Cathy's Candy onde fazem chocolate e doces caseiros e Ernie's Tackle and Ski onde revemos os nossas técnicas e equipamentos de pescaria. O restaurante The Sierra Inn continua desde a minha infância com o mesmo cardápio e visual. Não era nada especial, mas senti o conforto de que nada mudou. A melhor coisa da cidade é o astral. Todas as pessoas que conheci em June Lake eram felizes e genuinamente queriam ajudar.

Em June Lake tem dois lagos, o June Lake e o Gull Lake. O June, o maior dos dois, é bom para pescar, nadar e fazer esqui aquático. O Gull Lake é o lar dos pescadores sérios. É um lugar maravilhosamente lindo, cercado de montanhas de granito manchadas com pinheiros e neve. A água cristalina e o silêncio do lago me deixou bem zen, essencial para pescaria. E com o visual espetacular, não tinha como ficar irritada.

Acampamos há um quarteirão da marina do Gull Lake. A marina tem uma loja que vende as coisas essencias da pescaria e as bugigangas turísticas desnecessárias que felizmente também fazem parte da pescaria. Eles aluguam barcos, vendem varas e iscas, protetor solar e repelente, e todo tipo kitsch que tem a ver com pesca. Estatuetas de ursinhos pescando de vara, etc*...O mais importante, eles fazem um café excelente por 10 cents. Na terra do café de 2 dollares, esse é um grande achado!

*A casa do meu pai, um grande pescador, é cheia dessas bugigangas: peixes que cantam "Don't Worry, Be Happy" e quadros de velhos marinheiros parecidos com John Wayne. Sâo exibidos ao lado dos marlins e peixes-espada que ele tinha orgulho de montar. Para mim, essas coisas são tão importantes na pescaria como as iscas, chumbos e anzois.


As crianças aprenderendo pescar e o que é a paciência de um pescador.

Escolhemos o lugar de pescar ao lado da marina onde tem um parque para as crianças brincarem. O meu irmão falou que tinha muito sucesso naquele lugar. Era bom porque quando a paciência do pescador esgotava as crianças podiam brincar. Preparamos as varas e colocamos uma linha na água para cada um de nós.

Mas, ninguém pescou nada. Pescamos com minhocas. Os pescadores em volta falaram em se darem bem com "superbait" um tipo de isca com cheiro de alho que parece requeijão sabor cheddar temperado com glitter. Voltei da loja com o superbait e outro café e mudamos o equipamento para acomodar a nova isca. Colocamos todas as linhas na água com superbait que brilhava tanto que até deu para ver a isca no fundo do lago. Mas, não adiantou nada.

Perguntei se a gente deveria pescar no outro lado do lago e, assim, fazer uma caminhada. O meu irmão falou que já havia se dado muito bem várias vezes nesse lugar. Ele não mostrou qualquer entusiasmo em mudar de lugar e as crianças já haviam abandonado as varas e estavam felizes no parque. Porque mudar de lugar? Vi na varanda da loja da marina máquinas para vender ração de peixes para os visitantes alimentar um bando de trutas que ficam na marina onde a pesca é proibida. Com comida chovendo do céu na marina sem perigo de ser pescado, porque as trutas vão arriscar nadar 100m na direção dos pescadores. Achei melhor procurar um lugar isolado para pescar, longe das trutas sábias da marina e longe dos pescadores preguiçosos. Mas o meu irmão tinha razão. As crianças estavam muito felizes no parque.

Resolvi voltar ao motorhome para arrumar um piquenique. Fiz sanduíches das sobras de churrasco, uma salada, um prato de queijo e um monte de besteiras que as crianças gostam. Também levei uma garrafa de cabernet sauvignon (escondido, lá bebidas alcoólicas são proibidos em parques públicos) para esfriar no lago.

Pescamos até escurecer, sem sucesso nenhum. Mas, tudo bem. Vi o sol se por entre as rochas e uma águia americana chegar ao topo de um pinheiro gigante para aninhar para a noite. O vinho era bom, o piquenique gostoso as crianças felizes. Não tinha porque reclamar. Só senti uma pena que as crianças não tiveram a experiência de pescar um peixe.

Depois falei com o meu Pai, "fomos para o Gull!"
"Pescaram algo?"
"Nada."
"Foram para outro lado do lago?"
"Não, ficamos ao lado da marina."
"No parque?"
"É."
"Por isso. Ninguém pesca nada alí."




Depois de dois dias em June Lake fiquei triste de ir embora. É um lugar que sonho em ter um chalé para passar a temporada de esqui ou pesca. Vou ter que voltar para o A. conhecer.





Saimos da rotina do acampamento uma vez em Mammoth Lakes. Comemos no The Stove, um restaurante excelente e bem californiano no sentido que eu lembro de ser californiano na minha infância. Esse é a Califórnia autêntica que está sumindo rapidamente. Pratos bem feitos e servidos com comida simples, sem pretensões. Eu pedi os huevos rancheros que vêm com carne assada por cima e arroz e frijoles refritos ao lado. O Jorge pediu um hamburger maior do que o seu rosto, e a minha filha pediu ovos, bacon e uma panqueca maior do que a sua cabeça. Com o ritmo da viagem e a altitude, comemos quase tudo. Queria pedir uma fatia da torta de amora, mas não tinha espaço.

Escrevendo isso, sinto muito falta da Sierra Nevada. Um mês depois ainda converso muito com a Juju sobre a nossa aventura.
-Explico, "eu fiz essa aventura com o Grampy quando eu tinha a sua idade."
-"Mas ele não tinha o motorhome."
-"Não, não tinha o motorhome....Vem cá. Desde que você e o Jorge nasceram fiz uma promessa comigo mesmo de levar vocês a conhecer o Mammoth. Finalmente cumpri a promessa. Gostou da aventura?"
-"Gostei muito!"
-"Faça uma promessa?"
-"O que?"
-"Quando tiver filhos, levam para conhecer o Mammoth?"
-"Prometo."

Bishop, CA
Meadow Farms Country Smokehouse - www.smokedmeats.com

Mammoth Lakes, CAGlass Creek Campground
Highway 395
Mammoth Lakes, CA
www.visitmammoth.com

The Stove
644 Old Mammoth Road
934-2821

June Lake, CAinformações turísticas - www.junelakeloop.com
Golden Pine RV Park - www.junelakeloop.org/golden_pine_rv_park
Cathy's Candy - www.cathyscandy.com
Ernie's Tackle and Ski - www.erniestackleandski.com
The Sierra Inn - www.junelakesierrainn.com

leia também:
California Dreaming parte 2 - Beignets do Mickey
California Dreaming parte 3 - O Flank Steak do Meu Pai

2 comentários:

  1. Parabens! Que presente esta viagem linda para seus filhos.

    ResponderExcluir
  2. Hi susie, thanks for sharing this lovely family story in California.
    I was really touched specially when you asked your children to make a promess about taking their children one day to Mammoth Lake. Awesome....You are supper I already told you that... For our fortune you are going to take A. some time to Mammoth Lake and we hope in that time we will be able to go with you guys....let~s dream about why not. I loved every single word that you wrote, before i knew it my smile was there...
    love,
    Carla, Teresopolis

    ResponderExcluir

O seus comentários são sempre bem vindos.